Após facada, ACM Neto recebe alta médica em Salvador

O deputado federal Antonio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA), teve alta às 13h30 desta terça-feira (horário de Brasília) do Hospital da Bahia, onde estava internado desde segunda. ACM Neto, como o parlamentar é conhecido, foi agredido com uma facada nas costas desferida pela funcionária pública aposentada Rita de Cássia Sampaio de Souza, de 45 anos, no início da tarde de segunda, quando saía do edifício onde fica seu escritório, o MC Empresarial, localizado no bairro da Pituba, em Salvador.Segundo boletim médico divulgado pelo hospital, o deputado passou a noite em observação e foi submetido a tomografia computadorizada, que mostrou que o golpe foi superficial, na altura do omoplata direito. ACM Neto foi medicado, levou três pontos no local e foi liberado.Presa em flagrante e indiciada por tentativa de homicídio qualificada, a agressora está detida no Presídio Feminino de Salvador. Em depoimento ao delegado Wilson Gomes, à frente do caso, ela justificou a agressão pelo fato de o deputado não ter cumprido a suposta promessa de resolver a liberação de seu FGTS, retido desde que ela foi afastada da Secretaria de Saúde do município de Ipiaú, a 353 quilômetros de Salvador, três anos atrás. Ela contou também que o anúncio do aumento de 90,7% no salário dos parlamentares fez crescer sua raiva.Segundo o delegado, Rita de Cássia aparentava estar emocionalmente desequilibrada no depoimento. "Não cabe à polícia julgar se ela é ´normal´", disse. "Se a Justiça entender que é necessário fazer exames psiquiátricos para o julgamento, eles serão feitos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.