Após encontro com Dilma, Temer diz que reforma ministerial deve sair só nesta sexta

Vice cancelou viagem para São Paulo para ficar em Brasília e acompanhar os desdobramentos das negociações de cargos

ISADORA PERON, O Estado de S. Paulo

01 Outubro 2015 | 14h53

BRASÍLIA - Após se encontrar com a presidente Dilma Rousseff, o vice-presidente Michel Temer voltou a dizer que acredita que a reforma ministerial vai ser anunciada somente nesta sexta-feira, 2. O vice cancelou o embarque para São Paulo, que estava previsto para o início da tarde, para ficar em Brasília e acompanhar os desdobramentos das negociações.

Segundo um ministro aliado de Temer, Dilma está tendo dificuldades para chegar a um acordo com o a bancada do PMDB na Câmara. Os deputados devem ficar com dois ministérios. Além da Saúde, eles também queriam Portos, mas devem ficar com Ciência e Tecnologia. A presidente até sondou Temer para saber se Eliseu Padilha (Aviação Civil) e Henrique Eduardo Alves (Turismo) teriam interesse de ir para a pasta de Ciência e Tecnologia, mas foi avisada de que eles querem ficar onde estão.

Enquanto Dilma almoçava com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ministros do PT no Palácio da Alvorada, Temer se reunia com aliados do PMDB no Jaburu para uma conversa. Não há previsão de que os dois grupos se encontrem, mas Dilma e Temer devem voltar a conversar no fim do dia.

Mais conteúdo sobre:
reforma administrativaTemer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.