Após disputa apertada no Rio, Gabeira vai ao 2º turno com Paes

Candidato do PV superou Crivella e diminuiu a diferença em relação ao primeiro colocado

Rio, O Estadao de S.Paulo

06 de outubro de 2008 | 00h00

Depois de um rápido crescimento nas duas últimas semanas, o candidato do PV, Fernando Gabeira, garantiu uma vaga no segundo turno da eleição do Rio. O primeiro colocado foi o candidato do PMDB, Eduardo Paes, afilhado político do governador Sérgio Cabral. Gabeira não apenas superou o senador Marcelo Crivella (PRB) como se aproximou de Paes e diminuiu a diferença apontada nas últimas pesquisas. O desempenho do candidato do PV surpreendeu o comando da campanha do PMDB, que imaginava uma vantagem maior e será obrigado a fazer ajustes para a segunda etapa da disputa.Com 99,99% dos votos apurados, Eduardo Paes tinha 31,98% dos votos válidos e Gabeira, 25,61%. Crivella estava com 19,06%. A candidata do PC do B, Jandira Feghali, tinha 9,79%. O concorrente do PT, Alessandro Molon, estava com 4,97%. A candidata do DEM, Solange Amaral, tinha 3,92% e o concorrente do PSOL, Chico Alencar, 1,81%. Paulo Ramos, do PDT, chegou a 1,8%. Paes teve 1.049.010 votos e Gabeira, 839.990, uma diferença de 209.020 votos. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contabilizou 4,33% de votos brancos e 6,14% de votos nulos. A abstenção foi de 17,90% dos eleitores. Eduardo Paes fez campanha pregando parcerias com o governador Sérgio Cabral e com o presidente Lula. Com um aliado e um adversário na disputa, Lula será chamado por Cabral a participar da campanha do peemedebista. O apoio do presidente, no entanto, ainda não está definido. "Sou o candidato da base do presidente", afirmou Paes, na primeira entrevista depois de confirmado o primeiro lugar. O peemedebista informou que o senador Marcelo Crivella será procurado primeiro. "Com o Crivella, tenho uma relação excepcional", disse. Crivella ainda faz mistério sobre a posição que adotará. Enquanto isso, Gabeira e Paes já estudam estratégias para ganhar o eleitor do candidato derrotado. O candidato do PV tem vantagem no eleitorado de alta renda e escolaridade, enquanto Paes tem bom desempenho entre os eleitores pobres. Gabeira deverá ter apoio de Cesar Maia e da candidata derrotada do DEM, Solange Amaral. Cabral vai se empenhar para levar ao candidato do PMDB o apoio do PT e do PC do B. Confirmado o segundo lugar, Gabeira disse que pretende formar "a frente mais ampla possível em torno da solução dos problemas" da cidade, mas minimizou a possibilidade de partidos de esquerda apoiarem seu adversário. "O processo que vai se dar no segundo turno, no meu caso, não vai ser uma busca para acrescentar letras à minha coligação. Vai ser em busca de apoio na sociedade", afirmou. "Existem partidos de esquerda e eleitores de esquerda. Vou procurar os eleitores de esquerda", comentou. A pesquisa de boca-de-urna do Ibope apontava empate técnico entre os candidatos do PV e do PRB, com vantagem para Gabeira de três pontos porcentuais. "O Ibope sempre diminui meus votos e aumenta os do Crivella", reclamou Gabeira. Eduardo Paes acompanhou pela TV do porteiro do prédio onde mora o governador Sérgio Cabral, seu padrinho político, a divulgação da pesquisa boca-de-urna. Elogiou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pela decisão de enviar as Forças Armadas para garantir a segurança da campanha e defendeu que a Operação Guanabara, com 4.800 militares, seja mantida. "Gabeira é o homem", comentou Paes ao presenciar a manifestação de eleitores do candidato do PV.Paes teve a campanha mais rica e o maior espaço no horário eleitoral gratuito. O ex-tucano foi, como deputado federal, um dos mais ferrenhos adversários do presidente Lula na CPI dos Correios, onde atuou como sub-relator. Hoje se apresenta como aliado do presidente e faz campanha falando em parceria com Estado e União. Gabeira fez a trajetória oposta. Esteve duas vezes no PT, partido pelo qual disputou o governo do Rio em 1986 e foi eleito deputado em 2002. Deixou o partido e marcou a atuação parlamentar com a cobrança por ética e transparência. Nesta eleição, aliou-se ao PSDB.LUCIANA NUNES LEAL, ROBERTA PENNAFORT, ALBERTO KOMATSU, MÁRCIA VIEIRA, TALITA FIGUEIREDO, FELIPE WERNECK, DANIELE CARVALHO, FABIANA CIMIERI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.