Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Após desistência de Barbosa, PSB reúne bancada na Câmara

Foco do partido é eleger governadores e ampliar a presença de deputados e senadores

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

08 Maio 2018 | 16h44

BRASÍLIA - A bancada do PSB na Câmara dos Deputados realiza uma reunião de extraordinária às 17h depois de ter sido surpreendida na manhã de terça-feira, 8, pela desistência de Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, de concorrer à Presidência da República.

+ 'O PSB não tem plano B', diz líder do partido na Câmara

O líder Julio Delgado (MG) convocou os deputados para discutir a situação eleitoral do partido. O foco do PSB é eleger governadores – a sigla planeja disputar em 10 Estados – e ampliar sua bancada federal, de deputados e senadores.

Parte dos dirigentes socialistas deseja que o partido lance outro nome para disputar a sucessão do presidente Michel Temer, para evitar uma dispersão dos diretórios entre pré-candidatos como Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede).

Parlamentares, porém, avaliam que o racha é inevitável por causa das conveniências eleitorais de cada Estado e que a aliança seria uma forma de deixar o caminho livre para quem divergir do comando nacional.

+ 'Não é para qualquer um, precisa ter estômago de aço', diz França sobre desistência de Barbosa

Em março, o congresso do PSB aprovou uma resolução que vinculava o partido a candidaturas de centro-esquerda, o que significava um afastamento de Alckmin. Partidários do ex-governador paulista não devem conseguir reverter a decisão, conforme avaliação de deputados.

Deputados do PSB dizem que o projeto eleitoral de Barbosa tinha pouca sintonia com o que o partido projetava de candidatura e querem uma explicação por parte dele. Havia uma reunião prevista para ocorrer nesta semana.

+ Presidente do PSB diz que decisão de Joaquim Barbosa é 'compreensível'

A desistência frustrou inclusive a formação de uma aliança suprapartidária em prol de Barbosa. Deputados do PPS, por exemplo, desejavam organizar um café amplo com Barbosa para quebrar o engessamento do ex-magistrado na política.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.