Após derrota no PSB, Ciro pede licença na Câmara

Depois de ver o PSB enterrar sua candidatura à Presidência, o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) pediu oficialmente hoje licença da Câmara. Ele ficará afastado das atividades como parlamentar por 30 dias. Ciro alegou motivos pessoais, mas o pedido de licença já era dado como certo por integrantes de seu partido desde a semana passada.

ANA PAULA SCINOCCA, Agência Estado

29 de abril de 2010 | 19h29

Assim como a pré-candidata do PV à Presidência, senadora Marina Silva (AC), que também pediu licença hoje, Ciro não será remunerado. Seu suplente, o pastor Pedro Ribeiro (PR-CE) também não será convocado. Conforme estabelece a Constituição, os suplentes só são convocados em caso de licença superior a 120 dias.

Antes mesmo da saída de cena, agora oficializada, Ciro não era visto na Câmara nas últimas semanas. Em abril, por exemplo, ele não participou de nenhuma uma sessão, segundo registros da Casa. A assessoria de imprensa do parlamentar não informou o que Ciro pretende fazer durante sua ausência da Câmara.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoPSBCiro GomesCâmaralicença

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.