Após derrota no 2º turno, Serra promete continuar luta

O candidato derrotado do PSDB à Presidência da República, José Serra, fez um pronunciamento por volta das 22h40 de hoje dizendo que recebeu com respeito e humildade a voz do povo nas ruas. "Quero cumprimentar a candidata eleita Dilma Rousseff (PT) e desejar que (ela) faça bem para o nosso País". No final do discurso, Serra cantou o trecho do hino nacional que diz "verás que um filho teu não foge à luta", e mandou um recado aos que imaginam o PSDB derrotado: "Nós apenas estamos começando uma luta de verdade". E prometeu: "Minha mensagem de despedida neste momento não é um adeus, mas um até logo. A luta continua, viva o Brasil".

ANNE WARTH E DAIENE CARDOSO, Agência Estado

31 de outubro de 2010 | 23h29

Emocionado, o tucano disse que disputou com orgulho a Presidência da República, mas o povo quis que (sua vitória) não fosse agora. E agradeceu os 43,6 milhões de votos recebidos em todo o País neste segundo turno. "Sou muito grato a todos e a todas que colocaram adesivos, bandeiras e vestiram camiseta Serra 45", disse, citando também os militantes que lutaram nas ruas e na internet em defesa de sua mensagem: "Vou carregar cada olhar, cada abraço, cada frase de estímulo e de vibração que recebi". E também lembrou dos seus seguidores no microblog Twitter, sobretudo os jovens.

Serra citou que, ao lado da votação que recebeu neste pleito, os brasileiros elegeram também 10 governadores que apoiaram a sua candidatura. E citou "o companheiro de várias jornadas Geraldo Alckmin", eleito governador no primeiro turno dessas eleições em São Paulo. "(Alckmin) Se empenhou na minha eleição mais do que se empenhou na sua".

E argumentou que nos meses "duríssimos de campanha, quando enfrentou forças terríveis", os correligionários que apoiaram sua candidatura alcançaram uma vitória estratégica, construíram uma fortaleza e consolidaram um campo político em defesa da democracia no Brasil. Além disso, o candidato destacou que sua campanha trouxe ao cenário eleitoral uma juventude que ama o Brasil e quer que os políticos sejam servidores do povo e não se sirvam do povo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.