Após depor, ministro recebe CD com 'melô dos cartões'

Autoria da música é desconhecida e, apesar de constrangido, Silva recebeu a encomenda com bom humor

da Redação,

09 de abril de 2008 | 12h59

O ministro dos Esportes, Orlando Silva, recebeu do deputado Índio da Costa (DEM-RJ) após depoimento à CPI dos Cartões na última terça-feira, 8, um CD com pagode fazendo chacotas com as denúncias dos cartões corporativos, segundo a rádio CBN. A autoria da música é desconhecida e, apesar de constrangido, Silva recebeu a encomenda com bom humor. Segundo a assessoria do deputado, o "melô dos cartões" circula na internet.  Veja também:Ouça o 'melô' dos cartões corporativos  Entenda a crise dos cartões corporativos  No depoimento, Silva justificou a compra da tapioca com cartão corporativo. Silva diz que se enganou ao usar o cartão em Brasília e que logo devolveu o valor de R$ 8,30, referente ao gasto. O cartão corporativo só pode ser usado quando os ministros viajam a trabalho. O ministro afirmou também que decidiu devolver à União o valor total dos gastos que fez com cartão corporativo - R$ 34.378,37, referentes a gastos entre 2006 e 2007. O dinheiro foi retirado da própria poupança, afirmou o ministro, e pago em três parcelas.  Silva disse ainda que, fora esse episódio, o uso do cartão se deu exclusivamente em cumprimento de agendas de trabalho. Ele minimiza o caso tapioca e afirma que virou "parte do folclore político nacional". "Foi engano, usei o cartão aqui em Brasília, o que não pode acontecer. Identificado o gasto da tapioca, houve recolhimento, no dia 29 outubro de 2007. Portanto, muito antes de publicarem as denúncias. O ministro disse estar convicto de que a Controladoria Geral da União (CGU) irá considerar corretas as despesas que fez com seu cartão corporativo e, por isso, irá pedir ressarcimento dos cerca de R$ 34 mil que pagou do próprio bolso para cobrir despesas que a CGU suspeita terem sido quitadas irregularmente com o cartão.     

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.