Após denúncias de Valério, 11 governadores prestam solidariedade a Lula

Segundo Agnelo Queiroz, ataque do empresário é 'ataque vil, covarde, irresponsável e criminoso'

Daiene Cardoso , Agência Estado

18 de dezembro de 2012 | 15h48

SÃO PAULO - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebe na tarde desta terça-feira, 18, na sede do Instituto Lula, na zona sul da capital paulista, 11 governadores, em uma reunião "para prestar solidariedade" contra as declarações do empresário Marcos Valério ao Ministério Público Federal (MPF). Já chegaram por volta das 15 horas os governadores Sérgio Cabral (PMDB-RJ), Cid Gomes (PSB-CE), Tião Viana (PT-AC), Jaques Wagner (PT-BA), Agnelo Queiroz (PT-DF) e o tucano Teotônio Vilela Filho (AL).

Na chegada, Agnelo Queiroz condenou "o ataque vil, covarde, irresponsável e criminoso" de Marcos Valério, que disse ao Ministério Público Federal (MPF) que o esquema do mensalão teria pago despesas pessoais do ex-presidente Lula. "Só confia em vigarista dessa ordem quem quer dar voz a isso", disse Queiroz, ao chamar o empresário de "criminoso". "Isso é muito grave e ameaça a própria democracia do País. Temos de combater isso com veemência", completou.

Já os governadores Sérgio Cabral e Cid Gomes destacaram o reconhecimento do trabalho do ex-presidente Lula no País e no resto do mundo. "Há uma onda que, penso eu, não faz jus ao trabalho que o Lula fez, ao respeito que o mundo e que a grande maioria dos brasileiros têm por ele", disse Cid Gomes.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaapoioCid Gomes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.