Após denúncias, Alstom assina novo contrato com Metrô de SP

Acordo para instalação de sistema de sinalização vale 280 milhões de euros e é o maior já assinado pela empresa

Giuliana Vallone, do estadao.com.br,

04 de julho de 2008 | 17h51

O presidente da Alstom, Patrick Kron, anunciou nesta sexta-feira, 4, a assinatura de um novo contrato com o Metrô de São Paulo, no valor de 280 milhões de euros. O acordo foi fechado mesmo após as denúncias de irregularidades em contratos da empresa no Estado. Veja também: Entenda o caso Alstom  A Alstom vai fornecer o sistema de controle automatizado para as linhas 1, 2 e 3 do Metrô, o maior projeto de sinalização já conquistado pela companhia.  A multinacional francesa é investigada na Suíça e na França por suspeita de pagar propina para obter contratos em países da Ásia e da América do Sul, entre eles o Brasil.  No País, as denúncias incluem os contratos de venda de equipamentos para a ampliação das linhas em São Paulo, no valor de US$ 45 milhões, sendo US$ 6,8 milhões em comissões ilegais, e de construção da Usina Hidrelétrica de Itá, entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, no valor de US$ 200 milhões, dos quais US$ 30 milhões seriam para pagamento de propina. A entrega do sistema Urbalis, que servirá para o controle e telecomunicações dos trens, está prevista para começar em 2010. A empresa afirmou que o processo não afetará os serviços do Metrô. Além do contrato com o Metrô, a companhia francesa também anunciou a construção de uma fábrica de equipamentos hidrelétricos no País. A Indústria Metalúrgica e Mecânica da Amazônia, criada em joint venture com a brasileira Bardella, vai investir cerca de 30 milhões de euros em uma instalação em Porto Velho, Rondônia, e fornecerá equipamentos para a usina de Santo Antônio, no Rio Madeira.

Tudo o que sabemos sobre:
AlstomMetrô de SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.