André Dusek/AE
André Dusek/AE

Após declarações mais amenas, Minc volta a criticar ruralistas

'Não vamos deixar essa turminha destruir nossos biomas', diz ministro, que também citou a senadora Kátia Abreu

Leonardo Goy, da Agência Estado,

04 de junho de 2009 | 15h55

Pouco depois de dizer que queria se encontrar com a senadora Kátia Abreu (DEM-TO) e que a ecologia e a agricultura precisam se entender, o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, voltou, nesta tarde de quinta-feira, 4, a carga contra os produtores rurais. "Podem ameaçar, mas não vão transformar nossos biomas em latifúndio, em monocultura. Não vamos deixar essa turminha destruir nossos biomas", disse o ministro a uma plateia de funcionários do Instituto Nacional do Meio Ambiente (Ibama), durante evento na sede do órgão em comemoração à semana do Meio Ambiente.

 

Veja também:

link'A mim, Minc não engana', diz senadora do DEM

linkPediram meu pescoço mas ele deve ficar no lugar, diz Minc

linkApós ser repreendido por Lula, Minc baixa críticas

linkKátia Abreu diz desprezar Carlos Minc 'e os seus'

linkSenadora do DEM denuncia Minc por crime de responsabilidade

linkMinc e ruralistas trocam ofensas

 

O ministro voltou a falar também da senadora Kátia Abreu, que é presidente da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Segundo ele, o Ibama tem de dar um tratamento diferenciado aos pequenos produtores rurais para que eles não se aproximem dos grandes produtores. "Não podemos jogar a agricultura familiar nos braços dos grandes produtores, nos braços da minha querida amiga Kátia Abreu, porque eles usam os pequenos como massa de manobra para passar o rodo na legislação ambiental e para renegociar dívidas milionárias", disse.

 

Segundo Minc, os fiscais do Ibama não podem tratar um pequeno agricultor, que vive da terra, como um grande fazendeiro que não necessariamente vive da atividade. "A terra é a vida do pequeno produtor. Ele tem que ser tratado com carinho", disse.

 

O ministro disse que fica surpreso quando volta de fóruns internacionais, que debatem a preservação do meio ambiente e encontra uma situação diferente no Brasil. "Todo mundo está indo numa direção e os nossos ruralistas vão na direção contrária".

 

Questionado, ao fim da palestra, sobre a afirmação da senadora Kátia Abreu de que ele não a engana e que ele quer apenas disputar as próximas eleições, Minc limitou-se a responder: "não acredito que ela disse isso. Ela é uma pessoa de bem".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.