Após decisão do procurador, Senado anula brecha do nepotismo

Antônio Fernando de Souza encaminhou pedido ao Supremo contra o que considerou artifício do Senado

da Redação

21 de outubro de 2008 | 17h47

O presidente do Senado, Garibaldi Alves, anulou nesta terça-feira, 21,a decisão do nepotismo que foi alvo de reclamação do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, segundo informações da Agência Senado. Mais cedo, Souza encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma reclamação contra a decisão da Comissão Diretora do Senado que abriu, segundo sua avaliação, brecha para a manutenção dos empregados que têm grau de parentesco com os senadores.  Veja também:Súmula é suficiente para eliminar a "república de parentes"?  Procurador vai ao STF contra brecha de nepotismo no Senado  Principais casos de nepotismo Analista político comenta a decisão do STF que proíbe nepotismo   Garibaldi criou uma comissão, com três integrantes da Casa, para atender ao procurador. Isto é, "todas as deliberações já tomadas serão revistas de acordo com a decisão do procurador". A comissão terá poderes para acrescentar novos casos de demissão, levando em consideração a reclamação do procurador da República. "O enunciado do Senado não existe mais. O que existe é a reclamação feita pelo procurador-geral da República. Faça-se justiça. Cumpra-se a lei", afirmou Garibaldi segundo a Agência Senado. O senador não quis responder a perguntas dos jornalistas. Garibaldi demitiu também o advogado-geral da Casa, Alberto Cascais, nomeando para seu lugar o consultor legislativo do Senado Luiz Fernando Bandeira de Mello. Ele afirmou que Cascais "não se mostrou à altura do desafio". Além disso, justificou sua decisão lembrando que o advogado-geral "elaborou um enunciado que foi alvo de condenação do procurador-geral da República".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.