Após conversa com Lula, empresários mudam discurso

Depois de quase três horas de conversas, os empresários que estiveram em reunião hoje com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva mudaram por completo o tom de suas declarações. No final da manhã de hoje, os empresários, ao chegarem ao Palácio do Planalto, reclamaram da carga tributária e cobraram redução da alíquota da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Em diversas entrevistas antes da reunião, eles disseram que o assunto era "importante" para as empresas e o País como um todo. Ao fim do encontro, o discurso mudou. Empresários saíram do Palácio elogiando o presidente e a iniciativa de chamá-los para uma reunião. Eles relataram que a questão do imposto do cheque não foi tratada "em momento algum". Durante o encontro, o presidente não teria ouvido queixas de excesso de impostos. Lula não comentou e nem ouviu comentários sobre a proposta de prorrogação da vigência da CPMF até 2011, relatou um participante da reunião.No discurso durante a reunião, Lula se apresentou como um "animador" de platéia, segundo avaliação de um empresário. O presidente disse que os empresários tinham de ter confiança e perder o complexo de inferioridade nas disputas comerciais no exterior. "Ele (Lula) disse que os empresários brasileiros tinham de ser otimistas, deixar o negativismo", relatou um empresário, sem esconder que gostou do discurso do presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.