Após cateterismo, estado de Duda Mendonça é estável

O publicitário Duda Mendonça, ex-marqueteiro do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, submetido na tarde de quarta-feira a uma cirurgia de revascularização do miocárdio, por meio da colocação de pontes de safena, no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, encontra-se "estável, consciente e alimentando-se normalmente", segundo boletim divulgado nesta manhã pelo hospital.O boletim informa que Duda foi transferido para a unidade semi-intesiva e está sob os cuidados do cardiologista Roberto Kalil Filho e do cirurgião cardiovascular Professor Doutor Fábio Jatene.Duda foi internado na noite da última terça-feira no hospital Sírio-Libanês, e não chegou a sofrer um enfarte, mas o exame confirmou a obstrução de artérias em seu coração - o que resultou na recomendação, por parte da equipe médica, de que fosse realizado o procedimento cirúrgico.Segundo informações divulgadas quarta à noite pelo Sírio-Libanês, a cirurgia à qual Duda foi submetido teve duração de aproximadamente três horas. Depois disso, o publicitário foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital, seguindo o procedimento de rotina para a recuperação de cirurgias como essa.Antes de ser internado, o publicitário estava em Salvador, na Bahia, onde sentiu dores no peito. Segundo Kalil, ele e a família optaram por viajar para a capital paulista para a cirurgia.Paz e AmorNascido na Bahia, Duda Mendonça comandou a estratégia publicitária do presidente Lula em 2002, tendo sido o responsável pela campanha que o levou pela primeira vez ao Palácio do Planalto. O plano de marketing político desenhado pelo publicitário resultou, por exemplo, no bordão ´Lulinha Paz e Amor´, até hoje utilizado como referência em avaliações sobre a estratégia de comunicação do presidente. Depois disso, sua agência de publicidade, a Duda Mendonça & Associados, tornou-se detentora de contas milionárias na Presidência da República, como, por exemplo, um contrato anual de R$ 150 milhões com a Secretaria de Comunicação do governo.Além de comandar a estratégia de Lula, Duda também assinou campanhas eleitorais de políticos como os ex-prefeitos de São Paulo, Celso Pitta, e Paulo Maluf. Seu estilo ficou conhecido pelas campanhas caras e marcadas por superproduções.MensalãoDuda deixou de atender o Palácio do Planalto pouco após ter tido seu nome envolvido no escândalo do mensalão, marcado pelo esquema de financiamento irregular de campanha operado pelo publicitário Marcos Valério, de Minas Gerais.Em um depoimento prestado à CPI dos Correios em agosto do ano passado, quando o escândalo veio a público, Duda admitiu ter recebido recursos não contabilizados em uma conta bancária no exterior. O dinheiro teria sido depositado em uma conta no Bank Boston, em Miami, pertencente à offshore Dusseldorf, com sede nas Bahamas.Algum tempo depois, Duda anunciou que deixaria de atuar na área de marketing político no Brasil. Mesmo assim, o publicitário teria acompanhando, pelo menos em par te, a campanha de reeleição do presidente Lula, que passou a ser comandada pelo jornalista João Santana. Nos últimos meses, circularam informações de que ele costumava assistir programas de Lula para o horário eleitoral gratuito antes de eles irem ao ar. Colaborou Clarissa Oliveira

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.