Após cassação, TSE dá liminar e Cunha segue no governo da PB

Ele e seu vice haviam sido afastados por conta da suposta distribuição de cheques a eleitores em 2006

da Redação

27 de novembro de 2008 | 20h48

Por cinco votos a dois, os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiram nesta quinta-feira, 27, manter Cássio Cunha Lima (PSDB) como governador da Paraíba até o julgamento de novo recurso ajuizado na Corte. Para o TSE, a aceitação do pedido feito em medida cautelar protegerá os direitos do tucano de seguir no cargo enquanto recorre da cassação determinada pelo próprio tribunal no último dia 20. Cunha e seu vice, José Lacerda Neto, haviam sido afastados por conta da suposta distribuição de cheques a cidadãos por meio de um programa assistencial durante as eleições de 2006.   Veja também:  Entenda o caso de Cunha Lima e veja os governadores na mira   Governador da PB recorre novamente ao TSE contra cassação   O governador  e seu vice entraram na noite da última quarta-feira com novo pedido de liminar para suspender a cassação do mandato de ambos, decretada pela suposta prática de abuso do poder político e econômico nas eleições de 2006. O relator do pedido no TSE foi o ministro Eros Grau.

Tudo o que sabemos sobre:
Cássio Cunha LimaTSEParaíba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.