André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Após bate-boca, Renan tem jantar com senadores petistas

Estiveram presentes Jorge Viana (PT-AC) e Lindbergh Farias (PT-RJ); segundo Viana, Renan reconheceu que se excedeu ao partir para o confronto direto com Gleisi Hoffmann (PT-PR)

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

27 de agosto de 2016 | 14h10

BRASÍLIA - Após a confusão durante o julgamento do impeachment, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), convidou senadores do PT para um jantar na noite desta sexta-feira, 26. Estiveram na residência oficial os petistas Jorge Viana (PT-AC) e Lindbergh Farias (PT-RJ).

Viana afirmou que Renan reconheceu que se excedeu ao partir para o confronto direto com a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR).

Na conversa, os petistas fizeram um apelo para que o peemedebista pedisse aos parlamentares para que haja uma postura de respeito em relação à presidente Dilma Rousseff, que prestará depoimento na segunda-feira.

“A vinda dela vai ter um peso muito grande. Se passarmos do ponto, vamos nos transformar na Câmara do dia 17 de abril”, disse, em referencia ao dia da votação do impeachment na outra Casa.

Viana foi o responsável por, já na hora do almoço, fazer um primeiro contato com Renan para tentar selar um armistício para que o julgamento do impeachment retornasse sem maiores contratempos.

Ele reconheceu que o peemedebista é um “interlocutor fantástico” e elogiou a “neutralidade” que Renan tem adotado durante o processo de impeachment. “Só ele tem essa interlocução tanto com o PT quanto com os senadores governistas”, afirmou.

Os três aproveitaram o encontro para rever as cenas do bate-boca. Renan teria reconhecido que, no calor das emoções, chegou a empurrar Lindbergh. “Eu rui fazer uma reclamação. Não era uma festa. Fui organizar o jogo”, disse o senador petista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.