JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Após ameaça de multa, manifestantes pró-Lula mudam local de acampamento em Curitiba

Um despacho assinado por um juiz da 3ª Vara da Fazenda Pública fixou multa diária de R$ 500 mil caso os grupos presentes não desocupem o local

Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba, Luiz Fernando Teixeira e Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

17 Abril 2018 | 13h58

Os movimentos de apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Lava Jato, que mantinham uma vigília a 100 metros da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde o petista está preso, mudaram o local do acampamento para um terreno particular a três quarteirões da área anterior, informou a Frente Brasil Popular. A mudança foi feita após determinação judicial e acordo com a Polícia Militar e a prefeitura da capital paranaense.

Um despacho assinado pelo juiz substituto da 3ª Vara da Fazenda Pública, Jailton Juan Carlos Tontini, fixa que os grupos pró e contra Lula que ocupam as redondezas da Superintendência da Polícia Federal terão que pagar multa diária de R$ 500 mil caso não desocupem o lugar.

O documento cita a Central Única dos Trabalhadores (CUT), o Partido dos Trabalhadores (PT/PR), Movimento Curitiba Contra Corrupção, Movimento Brasil Livre (MBL) e Movimento UFPR Livre.

++ 'Saúdo a decisão dele de entrar na política', diz Marina sobre Barbosa

Os manifestantes descumpriram ordem do juiz Ernani Mendes Silva Filho no domingo, 8, a pedido da Prefeitura de Curitiba, para que "os réus se abstenham de transitar nas áreas descritas na inicial, não impeçam o trânsito de pessoas e coisas na mencionada área, bem como se abstenham de montar estruturas e acampamentos nas ruas e praças da cidade".

“Deverá o oficial de justiça, ainda, identificar eventuais outros movimentos, entidades ou indivíduos existentes no local, intimando-os da decisão liminar – sequência n.º 5 – e desta decisão, bem como para que, querendo, no prazo legal, ofereçam resposta, cientes de que, na ausência de contestação, poder-se-ão presumir verdadeiros os fatos articulados pelo autor”, afirma Tontini na decisão.

++ Raquel diz que R$ 2 mi a Aécio não são ‘filantropia’ de Joesley

Rotina. Na área em frente à PF, no entanto, os manifestantes ainda farão atividades durante o dia. Nesta terça-feira, 17, está programada no local a presença de senadores que visitarão a cela onde o ex-presidente está preso. Além disso, há previsão de programações culturais.

Para passar a noite, os movimentos alugaram um terreno entre as ruas Joaquim Nabuco e São João, a cerca de um quilômetro da sede da Polícia Federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.