Após aceitar convite, Suplicy desiste de ser vice de Mercadante

Coligação que apoia candidatura exige outro nome; PDT indicou o deputado Major Olímpio

Sandro Villar / PRESIDENTE PRUDENTE, Especial para O Estado de S.Paulo

30 Maio 2010 | 17h34

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) não será candidato a vice-governador na chapa do também petista Aloisio Mercadante ao governo do Estado de São Paulo. Ele até aceitou o convite de Mercadante, mas, pressionado, desistiu da candidatura e preferiu continuar como senador até 2015. A pressão partiu dos caciques dos mais de dez partidos da coligação que apoia Mercadante. A coligação quer ter o direito de indicar o candidato a vice-governador.

 

Veja também:

https://politica.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Marta trabalha contra candidatura de Suplicy

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/blog_azul.gif Blog 'Radar Político' antecipou negociação

 

"Resolvi aceitar o convite do senador Mercadante depois de dizer a ele que gostaria de pensar (sobre o convite). Me coloquei à disposição para ser o candidato a vice, mas a coligação indicou outro nome", afirmou Suplicy, em entrevista ao Estado. Ele acrescentou que o "outro nome" é o do deputado estadual Major Olímpio (PDT).

 

Segundo Suplicy, quem indicou o deputado foi o presidente do PDT, Paulo Pereira da Silva. "Ele alegou que o PT já indicou os candidatos a governador e ao Senado (Marta Suplicy). O PDT quer indicar o candidato a vice e não abre mão disso", explicou. "Havia aceitado o convite, fizeram um apelo para eu abrir mão e resolvi continuar como senador até 2015", completou, esclarecendo que "não houve consenso" em torno de seu nome.

Mais conteúdo sobre:
Eduardo Suplicy Aloizio Mercadante PDT

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.