Após ação, PMDB lança candidato próprio à Prefeitura de Minas

Ministro das Comunicações se mobilizou contra acordo entre tucanos e petistas costurado por Pimentel e Aécio

Eduardo Kattah, de O Estado de S.Paulo

24 de março de 2008 | 18h51

O PMDB decidiu nesta segunda-feira, 24, lançar candidato próprio à prefeitura de Belo Horizonte, em mais uma movimentação do ministro das Comunicações, Hélio Costa, contra a proposta de aliança entre PT e PSDB na capital mineira. Costa se reuniu com peemedebistas na Assembléia Legislativa de Minas Gerais. Ao final do encontro, foram indicados dois pré-candidatos: o deputado federal Leonardo Quintão e o deputado estadual Sávio Souza Cruz.  O ministro das Comunicações tem se notabilizado pelo combate ao acordo entre tucanos e petistas, que vem sendo costurado pelo prefeito Fernando Pimentel (PT) e pelo governador Aécio Neves (PSDB). A eventual aliança prevê como candidato de consenso o atual secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Márcio de Araújo Lacerda, filiado ao PSB.  "Entendemos que Belo Horizonte é muito importante para ficar apenas em uma decisão de cúpula", alfinetou Costa.  O ministro trabalha para ser candidato ao governo do Estado em 2010 e tenta minar a articulação, que reforçaria uma candidatura de Pimentel ao Palácio da Liberdade - possivelmente com o apoio de Aécio. Na semana passada, Costa chegou a propor, junto com o vice-presidente José Alencar, a criação de uma frente de partidos contra a aliança. Mas a idéia não vingou, já que partidos como o PC do B, PV e PDT sinalizam que terão candidatos próprios. Para o ministro, porém, isso significa que a disputa na capital deverá ser decidida em dois turnos.  "Vamos partir para uma candidatura do PMDB, mas já pensando no segundo turno. Ou seja, o simples fato de todos os partidos que poderiam compor essa grande aliança terem candidatos, já leva a eleição de Belo Horizonte para o segundo turno", acredita.  PT  Enquanto o Diretório Nacional do PT se reunia em Brasília para deliberar sobre as alianças municipais, representantes da esquerda do partido em Belo Horizonte registrariam na noite de segunda uma chapa para a eleição de delegados com tese contrária ao acordo com o PSDB na capital. A chapa "Prefeito é do PT. Sem Tucanos!" seria registrada pelo ex-deputado estadual Rogério Correia, atual delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) em Minas. Ferrenho opositor da aliança entre tucanos e petistas, Rogério já se lançou como pré-candidato do partido. "A nossa tese é que o PT deve lançar candidato e apresentar esse nome aos aliados históricos PC do B e PMDB", disse Correia.  O prazo para que os grupos petistas apresentassem ao Diretório Municipal da sigla as inscrições das chapas de delegados e teses para as alianças se encerraria às 20h. O grupo ligado ao ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, decidiu não apresentar a tese e a chapa. O ministro trabalha contra o acordo PT-PSDB.  "O processo não contemplou uma discussão programática", reclamou o deputado estadual André Quintão (PT), afirmando que, a priori, não deveria haver exclusão de uma candidatura petista.  Os filiados do PT municipal iriam escolher 416 delegados, que no próximo dia 30 votarão no modelo de coligação a ser seguido pelo PT nas eleições.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2008PMDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.