Após abandonar coligação, PSL decide ficar, afirma assessoria de Marina

Na quarta-feira, presidente da sigla anunciou que deixaria coligação por acreditar que a nova cabeça de chapa não cumpriria os compromissos firmados por Eduardo Campos

ANA FERNANDES E WLADIMIR DANDRADE, Estadão Conteúdo

22 Agosto 2014 | 14h41

O PSL desistiu de abandonar a coligação Unidos Pelo Brasil e seguirá na base de apoio da agora candidata à Presidência da República pelo PSB, Marina Silva. A informação foi confirmada nesta sexta-feira, 22, ao Broadcast Político, serviço de informações em tempo real da Agência Estado, pela assessoria de comunicação de Marina.

Na quarta-feira, 20, o presidente do PSL, Luciano Bivar, incomodado com a exclusão do processo decisório em torno da sucessão de Eduardo Campos na chapa, anunciou que deixaria a coligação. Ele afirmou acreditar que Marina não cumpriria os compromissos firmados por Eduardo Campos. Em reunião nesta sexta com a coordenação de campanha pela manhã, em São Paulo, Bivar foi convencido a ficar.

Além do PSB e do PSL, fazem parte da coligação PPS, PRP, PPL E PHS. Com a permanência de todas as legendas, Marina garantirá pouco mais de 2 minutos de tempo na TV.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.