Após 110 quilômetros de marcha, MST chega a Salvador

A marcha que manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) promovem, desde a segunda-feira passada, chegou a Salvador (BA) nesta manhã. Ao todo, cerca de 5 mil pessoas participam da caminhada, que percorreu 110 quilômetros entre Feira de Santana e a capital baiana, protestando contra a impunidade no campo e tentando pressionar o governo a apressar a reforma agrária.Os integrantes do movimento, ao chegarem a Salvador, seguiram direto para o ponto onde vão ficar acampados até terça-feira, na Rótula do Abacaxi - um dos principais entroncamentos urbanos da capital baiana -, e causaram diversos problemas ao trânsito da cidade. Alguns manifestantes apresentam quadro de desidratação. Na agenda dos manifestantes, está prevista para terça uma audiência com o governador baiano, Jaques Wagner (PT), e o comparecimento a uma sessão da Assembléia Legislativa do Estado, para pressionar os deputados a aprovarem a idéia de uso das terras devolutas do governo para a reforma agrária.BrasíliaCentenas de trabalhadores rurais ocuparam a sede do Incra em Brasília, nesta segunda-feira, por volta das 5 horas da manhã, exigindo maior rapidez nos assentamentos de terra. O Incra já entrou com pedido de reintegração de posse.Segundo o MST, 800 famílias estão em pelo menos 9 dos 23 andares do edifício, número que diverge da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), que fala que são ao todo 700 pessoas. Pontal do ParanapanemaO MST iniciou a mobilização do "Abril Vermelho" na região do Pontal do Paranapanema, extremo oeste de São Paulo, com a invasão, nesta segunda-feira, da Fazenda São Luiz, em Presidente Bernardes. Também foram ocupados a sede do Incra em Teodoro Sampaio, e os escritórios do Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp) em Teodoro e Rosana. Na São Luiz, os invasores estão destruindo a plantação de cana-de-açúcar, num protesto contra a monocultura e o agronegócio, segundo as lideranças. O número de invasões em SP, durante o governo Lula, já é recorde. RecifeCom a ocupação da fazenda Cajueiro Escuro, no município de Paudalho, na região metropolitana do Recife, subiu para oito o número de imóveis rurais ocupados este mês por agricultores ligados ao MST. Segundo o coordenador do MST, Alexandre Conceição, as duzentas famílias que entraram na área de 800 hectares estão montando acampamento em Paudalho, onde há criação de gado. A propriedade pertence ao deputado estadual Ricardo Teobaldo (PMDB).O movimento também se mobiliza para uma passeata e um ato público, no próximo dia 20, nas ruas do centro do Recife com a participação de agricultores de todas as regiões de Pernambuco.(Com Gustavo Porto, José Maria Tomazela e Agência Brasil)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.