Apoio de Maluf a Haddad é rejeitado por 62% dos eleitores

Paulistanos receberam mal a notícia da aliança entre deputado e pré-candidato petista, indica o Datafolha; pesquisa revela, porém, que apenas 17% sabem que o deputado apoia nessas eleições

do estadão.com.br

27 Junho 2012 | 07h39

O apoio do deputado Paulo Maluf (PP-SP_ ao pré-candidato petista Fernando Haddad é rejeitado por 62% dos eleitores paulistanos, de acordo com uma pesquisa realizada pelo instituto Datafolha. Quando a aliança é avaliada por entrevistados ‘petistas’, a rejeição chega a 64%.

O anúncio do apoio do deputado, que contou com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, causou crise na campanha de Haddad e fez a deputada Luiza Erundina (PSB) desistir de ser a vice na chapa. Segundo a pesquisa, 59% dos entrevistados responderam que não votaria em candidatos apoiados por Maluf. Para 26% o apoio seria indiferente e 12% seguiriam a indicação.

No entanto, a pesquisa revela que apenas 17% das pessoas entrevistadas sabem que o deputado apoia Haddad e 70% desconhecem quem Maluf apoiará nessas eleições. Responderam aos questionamentos 1.081 pessoas nos dias 25 e 26 de junho. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

O episódio só rendeu positivamente para Erundina, cujo protesto foi apoiado por 67% dos eleitores.

Cabos eleitorais. A influência de Lula para puxar votos caiu novamente. Nesta pesquisa, 36% dos eleitores dizem que votariam num candidato apoiado pelo ex-presidente. Em janeiro, porém, o índice era de 49%. Apesar da redução, Lula continua sendo o principal influenciador. No levantamento realizado no dia 14, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin influenciava no voto de 29% dos entrevistados, seguido pela presidente Dilma Rousseff (28%) e pelo prefeito Gilberto Kassab (12%).

Corrida eleitoral. A disputa pela Prefeitura de São Paulo se manteve. O pré-candidato tucano José Serra continua com 31% das intenções de voto, seguido pelo ex-deputado Celso Russomanno (PRB), agora com 24% (três pontos acima) e por Haddad, com 6% (dois pontos a menos). O deputado Gabriel Chalita (PMDB) também recebeu 6%, mesmo índice do vereador Netinho de Paula (PC do B), que ainda não havia retirado a pré-candidatura quando a pesquisa foi realizada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.