DIDA SAMPAIO/ESTADAO
DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Apoiadores de Bolsonaro pedem intervenção militar durante manifestação em Brasília

Bolsonaro sobrevoou a Esplanada dos Ministérios a bordo de um helicóptero, de onde acenou para os participantes de ato pró-governo

Camila Turtelli e Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2020 | 11h23
Atualizado 31 de maio de 2020 | 15h56

BRASÍLIA - Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro fazem nova manifestação na manhã deste domingo, 31 na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Em meio ao acirramento das relações entre o governo e o Supremo Tribunal Federal (STF), manifestantes carregam faixas com os dizeres "abaixo à ditadura do STF" e "intervenção militar". Há ainda uma bandeira que pede "intervenção no STF".

Bolsonaro sobrevoou a Esplanada dos Ministérios a bordo de um helicóptero, de onde acenou para os manifestantes. Ele chegou a fazer uma transmissão ao vivo do sobrevoo em sua página no Facebook. Concentrados na Praça dos Três Poderes, os participantes da manifestação também acenam e empunham celulares na tentativa de registrar a presença do presidente.

O trajeto entre o Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente, e o Palácio do Planalto é curto e pode ser feito em aproximadamente seis minutos por via terrestre.

Participantes gritam palavras de ordem contra STF

O STF tem sido alvo de novos ataques por parte de Bolsonaro e seus apoiadores. Na última quarta-feira, 27, a Polícia Federal cumpriu uma série de mandados de busca e apreensão contra bolsonaristas por divulgação de "fake news". A ordem foi dada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, no âmbito do inquérito que investiga ameaças, ofensas e notícias falsas disparadas contra integrantes da Corte e seus familiares.

Um dos investigados, o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP), participa do ato na capital federal. Ele e um grupo de apoiadores, vestindo camiseta do "movimento conservador" entoaram um grito de ordem contra o STF. "Supremo é o povo", bradaram. A ex-deputada federal Cristiane Brasil, filha do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, também participa do ato.

Roberto Jefferson é o mais novo aliado e Bolsonaro, após movimento do Palácio do Planalto para se aproximar do bloco de partidos do Centrão, do qual o PTB faz parte, na tentativa de construir uma base aliada e barrar eventual tentativa de impeachment do presidente da República. Cristiane publicou uma foto em seu Twitter exibindo sua participação nas manifestações. Ela usa uma camiseta replicando frase dita pelo seu pai contra o STF: “A toga não é mais forte que o fuzil."

Quem também participa da manifestação é o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida. Ele publicou uma foto em seu Twitter usando máscara de proteção e posando ao lado de um cartaz que diz "Guedes tem razão". Segundo ele, sua participação no ato é "em defesa das reformas econômicas".

Os manifestantes chegam à Esplanada à pé e de carro. Há pessoas aglomeradas na grade que fica em frente ao Palácio do Planalto, contrariando orientações de autoridades sanitárias para manter distanciamento social como medida de contenção ao avanço do novo coronavírus.

As pessoas estão sendo revistadas por seguranças, munidos com detectores de metal. O presidente participou da manifestação e chegou a cumprimentar os participantes de cima de um cavalo. 

Parte dos manifestantes usa máscara no rosto, como orientado por autoridades sanitárias, mas há também pessoas sem a proteção. O uso da máscara é obrigatório em espaços públicos no Distrito Federal desde 30 de abril.

Avaliação do governo Bolsonaro piorou, aponta Datafolha

O protesto a favor do presidente ocorre após a última pesquisa Datafolha indicar uma piora na avaliação de Bolsonaro em meio ao avanço da pandemia do novo coronavírus. Levantamento realizado nos dias 25 e 26 de maio mostra que, dos 2.069 entrevistados, 50% consideram a avaliação do presidente Jair Bolsonaro no enfrentamento da covid-19 "ruim" ou "péssima"

No sábado, 30, no mesmo local, o grupo bolsonarista "300 pelo Brasil", liderado pela ativista Sara Winter, fez um protesto com gritos de ordem contra o STF. Eles seguravam tochas acesas e alguns vestiam máscaras de personagens de filmes de terror. Cerca de 40 pessoas participaram do protesto ontem.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.