Apesar de obstrução, Chinaglia promete rapidez nas votações

Presidente da Câmara diz ainda que Lula deve enviar MP que reajusta salário de servidores essa semana

Agência Brasil

12 de maio de 2008 | 13h37

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, afirmou nesta segunda-feira, 12, que um dos primeiros itens de votação na pauta da Casa será a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência. Na semana passada, a Câmara votou todas as medidas provisórias  (MPs) que trancavam a pauta e com isso abriu-se um canal para votação de projetos de lei no plenário. Chinaglia disse ainda que, além da convenção, vai sugerir para votação outros itens aos líderes.   ESPECIAL: Veja quantas MPs cada presidente editou    "Coloquei a questão do trabalho escravo, a anistia do almirante João Cândido, entre outras medidas. Mas, evidentemente, temos ainda uma MP (n.º 422, que aumenta o limite da área para uso rural, sem processo licitatório, na Amazônia) para votar. Essa pauta vai se cumprir com um ou dois itens e o restante vamos definir com as lideranças".   Chinaglia acrescentou ainda que nas próximas semanas o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve enviar à Câmara as MPs que reajustam o salário dos bombeiros e militares do Distrito Federal, o de 800 mil servidores públicos e também o das forças armadas.   Além disso, o Ministério do Planejamento vai enviar pedido de MP de crédito extraordinário ao Planalto para a concessão desses reajustes. "Temos todas as condições de nesse período votar algumas delas [MPs] rapidamente, pois só podem trancar a pauta daqui a 45 dias", ressaltou Chinaglia.

Tudo o que sabemos sobre:
MPsChinagliaCâmara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.