Apesar de liminar, PMDB abre convenção

A ala governista do PMDB conseguiu uma liminar na justiça no final da noite de ontem para suspender a convenção nacional do partido que irá decidir pela saída dos peemedebistas do governo. Apesar de o oficial de justiça ter entregue a liminar a um advogado do PMDB, o secretário geral do partido, deputado Saraiva Felipe (MG), abriu a convenção às 9h15 e os convencionais começaram a votar."Os que defendem o governo podem ter poder com juízes da madrugada, mas não têm poder dentro do PMDB. Nós vamos derrubar isso", sustentou o deputado Geddel Vieira Lima (BA)."Em qualquer circunstância, vamos fazer a convenção porque temos a convicção que vamos derrubar essa decisão na justiça. É um absurdo a decisão do juiz", disse o ex-governador Orestes Quércia. A liminar foi dada pelo desembargador Asdrúbal Nascimento, da 2ª instância da Justiça do Distrito Federal.O governador do Paraná, Roberto Requião, também defendeu a reunião. "A questão do PMDB é interna e por isso vamos fazer a convenção, que posteriormente será sustentada em juízo", afirmou. Segundo ele, o presidente do PMDBP, Michel Temer, que ainda não chegou ao encontro, irá se reunir mais tarde com o desembargador Nascimento para apresentar os argumentos da legalidade da convenção, que deve terminar às 17 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.