Joédson Alves/EFE
Joédson Alves/EFE

Temer e ministros palacianos vão trabalhar 'normalmente'

É comum que ministros e o próprio presidente deixem Brasília às sextas-feiras, mas Temer preferiu permanecer na capital e monitorar o desenrolar dos atos com os aliados

Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2017 | 09h29

BRASÍLIA - Apesar de estar sem agenda pública, o presidente Michel Temer e os ministros palacianos vão trabalhar normalmente nesta sexta-feira, dia de greve geral, com exceção de Eliseu Padilha (Casa Civil), que já está em Porto Alegre.

Temer deve despachar a partir das 10 horas no Palácio do Planalto. O ministro da Secretaria, Antonio Imbassahy, e o da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, conforme suas assessorias, também despacharão normalmente no Planalto.

É comum que ministros e o próprio presidente, assim como parlamentares, deixem Brasília na sexta-feira para retornarem para as cidades de seu domicílio. Nesta sexta-feira, entretanto, Temer preferiu permanecer em Brasília e vai monitorar o desenrolar dos atos desta sexta-feira com os aliados.

O ministro da Justiça, Osmar Serraglio, foi orientado pelo governo a dar as primeiras respostas em relação aos atos de hoje. Há, porém, a previsão de que Moreira - que é responsável pela comunicação do Planalto - possa fazer um "balanço" no fim do dia. A iniciativa, ainda não confirmada, era comum durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff, que escalava ministros para conversar com a imprensa e responder aos protestos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.