Apesar de críticas, Maluf defende Venezuela no Mercosul

Deputado diz que Chávez é 'psicopata', mas diz se país não for aprovada no bloco econômico, 'povo será punido'

Reuters, Reuters

13 de novembro de 2007 | 16h07

Apesar das críticas ao presidente venezuelano Hugo Chávez, o relator do projeto, deputado Paulo Maluf (PP-SP), se manifestou nesta terça-feira de forma favorável ao ingresso da Venezuela no Mercosul. Maluf chamou o presidente venezuelano de "psicopata" e "cafajeste". "Mas se não admitirmos o ingresso da Venezuela, estaremos punindo o povo venezuelano, que não merece esse tratamento", disse.   A votação do texto foi adiada para quarta-feira da semana que vem. Até lá, segundo acordo entre governo e oposição, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, onde tramita o projeto, fará audiências com especialistas sobre o tema.     Os presidentes dos países-membros do Mercosul --Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai-- assinaram em julho de 2006, em Caracas, o protocolo de adesão da Venezuela, mas a medida depende da aprovação do Congresso brasileiro.       O ingresso venezuelano já foi aprovado na Comissão de Relações Exteriores, onde durante cinco horas deputados trocaram duras opiniões sobre o governo Chávez, e ainda irá ao plenário da Câmara e do Senado.  

Tudo o que sabemos sobre:
MercosulHugo ChávezPaulo Maluf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.