Apesar da crise nos Transportes, ministro acredita em acordo com PR

Paulo Bernardo, das Comunicações, disse que os partidos devem dialogar no Congresso

Eduardo Rodrigues, da Agência Estado

21 de julho de 2011 | 10h00

BRASÍLIA - O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, acredita que apesar das divergências entre o PT e o PR sobre a condução da crise no Ministério dos Transportes, pelo governo, os dois partidos devem dialogar no Congresso Nacional e chegar a um entendimento.

Bernardo, que participou nesta quinta-feira, 21, do programa Bom Dia Ministro, na sede da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), disse que não está autorizado a falar sobre a relação entre o governo e o Congresso, o que cabe à ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti.

Ele também comentou que a presidente Dilma Rousseff está trabalhando no sentido "de fazer as coisas andarem direito", destacando as providências já tomadas, como a paralisação das licitações e a demissão de funcionários vinculados à área dos transportes. "A partir do momento em que houve denúncias, a obrigação do governo é investigar e esclarecer", disse Bernardo.

O ministro, que até o ano passado comandava a pasta do Planejamento, acrescentou que o orçamento do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) para este ano é de cerca de R$ 13 bilhões. "É difícil imaginar que não haverá nenhum problema em um orçamento tão grande. Mas o Tribunal de Contas da União (TCU) está monitorando", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.