Apenas 47 dos 512 deputados abriram mão da ajuda de custo

Até agora, 47 dos 512 deputados anunciaram que não ficarão com o dinheiro pago na convocação extraordinária do Congresso. Para trabalhar durante o período que seria de recesso, os deputados e os senadores vão receber duas ajudas de custo iguais ao salário de R$ 12.847.De acordo com dados da assessoria de imprensa da Câmara, 19 deputados abriram mão do extra e não vão receber as ajudas de custo, outros oito deputados indicaram entidades para receber o dinheiro, outros nove deputados deram entrada no pedido de não recebimento, mas os requerimentos não chegaram a tempo à Diretoria Geral da Câmara e, por isso, terão o adicional depositado em suas contas.Eles não receberão a segunda parcela, prevista para ser paga em fevereiro. E ainda outros 11 deputados pediram para não receber o dinheiro depois que a folha de pagamento já havia sido enviada ao banco. Esses deputados informaram à administração da Casa que vão devolver o dinheiro ou doar para entidades. A primeira parcela da convocação na Câmara foi paga no final do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.