Apagões serão freqüentes em 2002, alerta Fiesp

Durante este ano, as chuvas podem minimizar os problemas de falta de energia no Brasil porém, em 2002, os apagões serão freqüentes. A afirmação foi feita hoje pelo diretor do Departamento de Energia da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Luiz Gonzaga Bertelli. "Faltam 22 meses para o término do segundo mandato presidencial e os responsáveis não conseguiram ainda uma política para a matriz energética do País.? O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) foi criado no dia 30 de outubro do ano passado e, segundo Bertelli, ?se reuniu apenas duas vezes? desde então.Bertelli alerta que o crescimento econômico de até 5% previsto para 2001, vai gerar um consumo de energia elétrica muito superior a esse porcentual: a margem de segurança (geração x consumo de energia) caiu de 20% para 3% nos últimos três anos. Ele observou que os 123 reservatórios de água para a geração hidrelétrica estão abaixo dos índices normais porque as chuvas de verão não foram suficientes para a reposição - 66 milhões de megawatts ou mais de 90% de energia gerada no País é de fonte hidrelétrica.O diretor da Fiesp fez as declarações durante o seminário "A Privatização das Empresas do Gás Canalizado (Gás Natural): Situação Atual e Perspectivas", que acontece na sede da Fiesp.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.