Ao saber de Chinaglia, Lula quer candidatura única à Câmara

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, defendeu candidatura única à presidência da Câmara após ser informado pelo presidente do PT, Marco Aurélio Garcia, que o partido vai lançar o deputado Arlindo Chinaglia, atual líder do governo, à presidência da Casa. Até então, Lula apoiava a candidatura do atual presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP). "Acho direito legítimo de cada partido político querer ter um presidente da Câmara. Acho mais justo e mais legítimo, ainda que tenhamos muitas candidaturas capazes no governo, que eles se acertem para que a gente tenha um único candidato e se componha uma Mesa que seja a mais democrática e mais representativa possível", afirmou. O presidente considerou que é importante que qualquer candidato da base aliada se submeta à base para garantir a unidade política. Lula advertiu que "a existência de várias candidaturas pode ocorrer até determinado momento". "Depois, as pessoas precisam perceber que, se do nosso lado nós nos dividimos, do lado de lá eles podem se unificar." Lula lembrou que os deputados não são ingênuos. "Eu digo sempre uma frase que o Doutor Ulisses me dizia: ´não adianta pensar que tem deputado ingênuo ou inocente´. Eu digo sempre que os ingênuos ficaram de suplentes", afirmou, dizendo que os deputados vão ter maturidade para fazer a melhor escolha. Lula disse ainda que não está, nesse momento, preocupado com a eleição da Câmara porque ainda tem dois meses pela frente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.