Ao lado de tucanos, Kassab elogia Serra e ataca Marta

DEM oficializou candidatura do atual prefeito, mas não decidiu sobre vice; nome pode sair do PMDB

Cristina Canas, da Agência Estado,

14 de junho de 2008 | 14h06

Acompanhado de diversos nomes do PSDB e do vice-governador Alberto Goldman (PSDB), o prefeito Gilberto Kassab (DEM) enalteceu durante todo o seu discurso a coligação com os tucanos e o apoio que recebe do governador José Serra. "Nada destruirá a aliança com o PSDB porque ela é boa para São Paulo", disse. Em outro momento, Kassab afirmou: "Estou na prefeitura de São Paulo há quatro anos sob o comando do governo Serra". Neste sábado, o DEM oficializou a candidatura de Kassab em convenção na Assembléia Legislativa de São Paulo.  Veja também:DEM oficializa Kassab na disputa pela Prefeitura de SP Veja o resultado da última pesquisa eleitoral para SP Acompanhe as principais datas das eleições municipais   Kassab fez críticas a ex-prefeita e candidata Marta Suplicy, citando principalmente as áreas de educação e saúde que, segundo ele, estavam uma calamidade. O candidato afirmou que para essas duas áreas sua gestão investiu mais da metade do orçamento. "Eu e Serra tocamos vários obras juntos e vamos continuar tocando". O prefeito citou uma infinidade de números da sua gestão, entre eles a construção até o fim de 2008 de 217 novas escolas - incluindo cinco Centros Educacionais Unificados (CEUs). Kassab aproveitou para criticar a opositora Marta, lembrando que quando Serra assumiu a prefeitura haviam 54 escolas de lata. "Acabamos com todas. E eu sigo a lição de Serra, que é trabalhar sempre para que o dia de hoje seja melhor que o anterior e o seguinte melhor ainda". Pouco antes de encerrar sua apresentação, o atual prefeito da cidade agradeceu a presença dos vereadores, entre eles vários do PSDB, e pediu uma salva de palmas para o governador José Serra. No atual mandato, os tucanos têm 12 vereadores na Câmara, sendo que 11 deles apóiam o governo municipal. "O Kassab e o Serra vão continuar na prefeitura de São Paulo por mais quatro anos", afirmou. Entre os nomes que acompanharam a convenção estavam o deputado pelo Rio de Janeiro, Rodrigo Maia, o ex-governador de São Paulo e atual presidente estadual do PMDB, Orestes Quércia, o secretário municipal de Esportes, Walter Feldman (PSDB), e Zulaiê Cobra Ribeiro (PHS). A convenção de hoje não definiu o nome do candidato a vice-prefeito na chapa de Kassab. A decisão deve ficar para depois da convenção do PSDB, prevista para o próximo dia 22, que dará a palavra final sobre o lançamento ou não da candidatura de Geraldo Alckmin. Muitos tucanos ainda defendem a aliança com Kassab. A convenção do PMDB, que acontece em paralelo, deve deixar para Kassab a decisão sobre seu vice, embora dê como indicativo o nome de Alda Marco Antônio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.