Ao lado de Ronaldo, Aécio faz campanha na Grande SP

Ao lado de Ronaldo, Aécio faz campanha na Grande SP

Candidato falou em "hora da arrancada" e "virada" nessa reta final da disputa

RICARDO BRANDT, Estadão Conteúdo

27 de setembro de 2014 | 14h21

Ao lado do jogador Ronaldo, o candidato a presidente da República pelo PSDB, Aécio Neves, fez campanha em duas cidades da Região Metropolitana de São Paulo e falou em "hora da arrancada" e "virada" nessa reta final da disputa. "A nossa diferença para a candidata que está em segundo diminui 4 pontos. Em uma semana cresci 6 pontos em São Paulo e 4 pontos em Minas Gerais", afirmou Aécio ao comentar a última pesquisa Datafolha.

"Estamos em uma rota de crescimento e estaremos no segundo turno. Porque quem quer derrotar o PT, cada vez mais percebe que a nossa candidatura é a que tem condições de enfrentá-los", afirmou o candidato, ao lado de Ronaldo e do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

O craque Ronaldo roubou a cena nos dois eventos do candidato do PSDB, em Osasco e em Carapicuíba. Visivelmente fora de seu ambiente, Ronaldo trocou mensagens por celular enquanto Aécio e Alckmin respondiam a perguntas de jornalistas e questionado sobre sua presença, disse que era natural que falasse menos. "E natural que eu seja o que fale menos aqui. Mas vim externar minha indignação e dizer que acredito nesse meu amigo", respondeu ele, que aproveitou a fala do candidato para brincar: "Quero dizer que de virada é mais gostoso. A gente vai virar esse jogo".

Nas ruas, Ronaldo caminhou ao lado de Aécio e virou a estrela da festa, em meio à confusão de bandeiras de candidatos e ao empurra-empurra.

O candidato do PSDB adiantou ainda que gravou uma fala de "desabafo" para o programa eleitoral da noite deste sábado. "O PT está deseducando os jovens e crianças brasileiras. Aquilo que elas aprenderam de que não devem mentir, não devem roubar, o PT jogou pela janela pela sanha e pela obsessão de se manter no poder", atacou o candidato.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesAécioRonaldoAlckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.