Ao lado de Lula, Edir Macedo ataca Globo em lançamento de TV

Bispo disse que Record "foi injustiçada por um grupo que tinha e mantém o monopólio da informação"

27 Setembro 2007 | 21h59

Sem se apresentar como bispo, o fundador e líder da Igreja Universal do Reino de Deus e proprietário da Rede Record, Edir Macedo, inaugurou na noite desta quinta-feira o seu novo canal de TV, o Record News, protestando contra o que chamou de "monopólio da informação" no País. Ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do governador de São Paulo, José Serra, Macedo iniciou seu discurso com um ataque velado à concorrente TV Globo - dizendo que sua empresa "por anos foi injustiçada por um grupo que tinha e mantém o monopólio da informação no Brasil". Ressaltando que o canal de notícias será gratuito - os da Rede Globo são exclusivos para assinantes da TV paga - Macedo disse que o novo canal pretende levar informação de qualidade aos brasileiros.  Veja também: 'Consegui fazer o que FHC quis e não conseguiu', diz Lula em entrevista à Record News Blog Cristina Padiglione: "E que outro monopólio você conhece. minha filha? O presidente Lula discursou logo após Edir Macedo e disse que a imprensa conta hoje com ampla liberdade para exercer suas funções e ressaltou "o firme compromisso de seu governo em não cercear a liberdade de imprensa no País." Lula disse ainda que "o maior desafio do jornalismo continua sendo a missão de informar com independência, imparcialidade e a livre atuação dos meios de comunicação". No final do breve pronunciamento, o presidente disse que toda vez que participa da inauguração de uma rádio, TV ou jornal, tem a vontade de dizer: "Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós" , poema de Medeiros e Albuquerque, do Hino da República, de 1899, e que, cem anos depois, se popularizou como enredo da escola de samba Imperatriz Leopoldinense. Junto de Edir Macedo, Lula acionou o botão que colocou oficialmente no ar a nova emissora de TV, às 20h20.  Em São Paulo, a emissora transmite pelo canal 42 UHF, 20 na TVA digital e 93 na Net Digital.  O governador José Serra também destacou a iniciativa da Record em ampliar a diversidade de opiniões e priorizar a regionalização. O novo canal de notícias levou ao ar uma entrevista exclusiva com o presidente Lula. E às 22 horas, uma entrevista com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB). Dentre as autoridades que também participaram da cerimônia, estava o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, a ministra do Turismo, Marta Suplicy. Após o discurso de Lula, o apresentador e jornalista Celso Freitas convidou a cantora Fafá de Belém ao palco para encerrar a cerimônia cantando o Hino Nacional. Em 1984, Fafá virou símbolo do movimento "Diretas Já", quando cantava  o Hino Nacional e dividia os palanques dos comícios com Lula e outros políticos que lutavam pela redemocratização do País. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.