Ao depor, mulher de Paulinho diz que 'esclareceu armação'

Advogado diz que Elza entregou documentação referente à prestação de contas da ONG Meu Guri

Roberto Almeida, de O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2008 | 17h04

A mulher do deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP),o Paulinho da Força , Elza de Fátima Pereira, prestou esclarecimentos à Polícia Federal por cerca de duas horas. Na saída, ela declarou estar "colaborando com a polícia". "Tive a oportunidade hoje, aqui, de esclarecer toda essa armação contra o nosso deputado Paulo Pereira da Silva", disse.   Veja também: Conselho de Ética abre processo disciplinar contra Paulinho Processo 'é ótimo' para eu me defender, diz Paulinho Entenda o esquema de desvio de verbas do banco estatal Grupo aliado aconselha Paulinho da Força a renunciar   Segundo o seu advogado, Antonio Rosella, Elza entregou documentação referente à prestação de contas da Ong Meu Guri, a qual preside. A Ong é acusada pela Polícia Federal de servir como ponto para lavagem de dinheiro proveniente da liberação de verbas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).   A Meu Guri recebeu uma doação de R$ 37,500 do lobista e ex-assessor de Paulinho, João Pedro de Moura, acusado pelos federais de tráfico de influência dentro do banco estatal. A mulher do deputado esclareceu ainda, segundo Rosella, a liberação de R$ 1.3 milhão para a construção da entidade, por parte do BNDES, ao entregar o projeto para a obtenção do repasse à PF.   Quando chegou, Elza estava acompanhada do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, Eleno Bezerra, que também prestou esclarecimentos sobre uma doação à Ong Luta e Solidariedade. Bezerra saiu sem falar com a imprensa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.