Ao comentar dossiê, Péres diz que não é 'chantageável'

O senador Jefferson Péres (PDT-AM) afirmou hoje que não é "chantageável" e que não tem "esqueletos no armário". "Canalhas de todos os matizes, eu não sou como vocês: ética para mim não é pose, não é bandeira eleitoral, não é construção artificial de imagem para uso externo", disse. As declarações foram feitas ao comentar uma matéria publicada na revista Veja, de que estaria sendo vítima de chantagem em represália ao fato de ter aceitado a relatoria da denúncia contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), de que ele teria usado laranjas para comprar emissoras de rádio em Alagoas. A revista cita um dossiê contra Péres que, entre outras coisas, traz um DVD apontando o seu "indiciamento" no processo que há 30 anos foi feito contra a Siderurgia da Amazônia S/A (Siderama), onde o senador trabalhava como diretor administrativo. Em discurso no plenário, o próprio Péres deixou claro não acreditar no envolvimento de Renan no episódio, por entender tratar-se de um procedimento pautado por seus desafetos políticos no Estado. O mesmo entendimento têm os senadores que há meses - e não só agora por causa da relatoria - receberam o tal DVD no gabinete. "Se São Francisco de Assis e Jesus Cristo fossem diretores da Siderama também teriam sido arroladas ao inquérito", afirmou. Segundo ele, a Siderama, em dificuldades financeiras, foi acusada de não repassar os descontos do Imposto de Renda feito dos empregados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.