Anvisa quer multar propaganda indevida de remédio na TV

As emissoras de TV estão na mira da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O órgão acaba de criar um departamento voltado exclusivamente para o monitoramento de publicidade de medicamentos e produtos sujeitos a controle sanitário.A intenção é dar atenção especial aos anúncios inseridos em programas de TV. O órgão já vinha fazendo o controle, mas não de forma sistemática. Para se ter uma idéia, a Anvisa recebeu, durante o carnaval, uma denúncia de que uma rede de TV teria feito propaganda e distribuído caixas de Viagra durante a cobertura da festa em Salvador. A agência solicitou cópia da fita à emissora e promete processá-la caso constate a infração. O Viagra, por só poder ser vendido com prescrição médica, não tem permissão para ser anunciado em veículos de massa."Não há para o setor uma lei semelhante à do cigarro, que restringe a propaganda. Por isso, temos de agir em outras frentes", explica a gerente de Inspeção da Anvisa, Maria José Delgado Fagundes. "A solução foi criar um departamento com a ajuda de universidades." Catorze instituições disponibilizam estudantes de direito, medicina e farmácia para o trabalho. Eles analisam a publicidade de impressos, rádio e TV e mandam relatórios mensais à Anvisa, que apura as infrações e abre processo administrativo contra os responsáveis".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.