Anvisa proíbe vendas de Paracetamol, produzido no RN

A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) interditou hoje acomercialização de um lote do analgésico Nuplam - Paracetamol, fabricado pela laboratório da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. A medida foi publicada hoje no Diário Oficial da União. O medicamento passou por análise do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS), que detectou volume médio do frasco abaixo do discriminado na embalagem e da tolerância aceita pelos padrões delimitados. O frasco do Paracetamol da Nuplam apresentou a quantidade de 9,6 ml enquanto o descrito no rótulo é de 10 ml. A interdição é válida por 90 dias, período em que o laboratório tem direito a solicitar contraprova em relação ao laudo do governo. Pontos-de-venda e distribuidores que não respeitarem a resolução serão notificados e poderão receber multas entre R$ 2 mil e R$ 1,5 milhão, de acordo com a Lei 6.437/77. Cabe às vigilâncias sanitárias estaduais e municipais fiscalizar o cumprimento da medida que deve ser imediato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.