Anvisa prepara regras para transfusão de sangue

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está preparando um conjunto de medidas para combater a prescrição incorreta de transfusão de sangue e hemoderivados no País. Na avaliação da Anvisa, uma parcela significativa de médicos indica de forma exagerada ou desnecessária a terapia, expondo pacientes ao risco de uma série de complicações.Entre os problemas estão as contaminações por vírus, bactérias e fungos e reações imunológicas. ?Isso pode ocorrer mesmo quando a qualidade do sangue é bem controlada?, garante o diretor da agência, Cláudio Maierovitch Pessanha Henriques.A gerente-geral de sangue da Anvisa, Beatriz Mac Dowell Soares, afirma que médicos de todas as especialidades podem prescrever a reposição de sangue a seus pacientes. ?A matéria, no entanto, não faz parte do currículo obrigatório, o que faz com que a indicação acabe ocorrendo de forma empírica?, completa Henriques.Recomendações para uso de dois componentes de sangue deverão ser concluídas em janeiro e, em seguida, submetidas a consulta pública. Para o professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) Álvaro Nagib Atallah, a medida da Anvisa pode ser uma ferramenta bastante útil. ?Não podemos criticar médicos que, no atendimento de emergência, indicam uma transfusão desnecessária. Há sempre o raciocínio de que é melhor pecar pelo excesso?, afirma.Mas o professor reconhece que esse raciocínio, às vezes, prejudica o paciente. ?Com normas precisas, baseadas em estudos controlados feitos com grande número de pessoas, certamente a segurança será maior.? O diretor da Fundação Hemocentro da Faculdade Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Dalton Chamone, considera o protocolo ?uma perda de tempo?.?Quem tem de ensinar isso são professores, nas faculdades. Não uma meia dúzia de técnicos?, critica. Henriques diz que as resoluções que serão editadas não têm por objetivo regular os estoques dos bancos de sangue. ?Talvez haja uma demanda um pouco menor. Mas o queremos evitar o desperdício de um produto precioso, que é o sangue.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.