Anvisa não irá suspender venda de Flanax no Brasil

O naproxeno, princípio ativo do remédio Flanax, suspeito de provocar o aumento da incidência de ataques cardíacos e de embolias, é vendido no Brasil. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o medicamento não terá sua venda suspensa no País porque a advertência feita por estudo americano só vale para pacientes que excedem a dose recomendada.Nos EUA, o remédio feito a base de naproxeno é vendido livremente, sem necessidade de receita médica. No Brasil, o medicamento (Flanax) é comercializado sob prescrição para o tratamento de artrite. A U.S. Food and Drug Administratino, órgão do departamento de Saúde dos EUA, advertiu aos consumidores que não excedam a dose de 220mg, duas vezes ao dia, por mais de dez dias.Prejuízo à saúdeA descoberta sobre o efeito adverso causado pelo medicamento foi feita em um estudo que examinava se o celebrex (princípio ativo do Celebra) ou o naproxeno reduziriam a incidência do mal de Alzheimer. A pesquisa foi suspensa na segunda-feira ao descobrir-se o aumento de 50% na incidência de ataques cardíacos e de embolias entre pacientes que tomavam naproxeno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.