Anvisa manda apreender palmito Tahyty em todo o Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou nesta quinta-feira a apreensão, em todo o território nacional, de todos os lotes do palmito em conserva da marca Tahyty, fabricado pela Poções Indústria e Comércio de Alimentos, localizada em Itajuípe (BA). Em fiscalização no âmbito do Programa Nacional de Monitoramento da Qualidade de Alimentos, o Centro de Vigilância Sanitária de São Paulo descobriu que o produto não era registrado na Anvisa. A Anvisa informou que, por se tratar de produto clandestino, do qual não se conhece a origem, qualidade e segurança, o palmito não é recomendado para consumo. Para obter registro na Anvisa, a fábrica do produto teria que ter passado pela fiscalização da Anvisa, para ver se estão sendo seguidas normas legais de higiene, limpeza, treinamento de técnicos especializados e uso de material adequado. Segundo a Anvisa, a empresa deve providenciar a retirada dos produtos do mercado imediatamente. As vigilâncias sanitárias dos Estados e dos municípios podem punir os estabelecimentos que venderem o produto. A legislação prevê notificação e multas de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.