Anvisa está avaliando remédios pesquisados pelo Idec

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou, através de sua Assessoria de Imprensa, que está reavaliando os medicamentos à base de tiratricol citados na pesquisa do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Segundo a Assessoria de Imprensa, a Agência está buscando na literatura científica e em relatos de outros órgãos de vigilância sanitária mundiais informações sobre as reações do tiratricol. Depois desta pesquisa, a Anvisa poderá realizar alguma alteração ou não nos produtos.A União Química Farmacêutica Nacional, fabricante do medicamento Trimag, ressaltou, através de sua Assessoria de Imprensa, que o produto está no mercado desde 1982 e nunca registrou nenhuma ocorrência de reações adversas. Segundo a assessoria, o laboratório está aguardando uma orientação da Anvisa sobre a comercialização do produto. A gerente de desenvolvimento de mercado da Hexal do Brasil, Telma Sales, afirmou que enquanto a Anvisa liberar a comercialização do Redulip, o produto será fabricado obedecendo a legislação do setor. ?Nosso serviço de atendimento ao consumidor não recebeu nenhuma reclamação sobre reações adversas na utilização do produto. O Redulip é vendido apenas com aval e prescrição médica?, relatou. Segundo Telma Sales, o Redulip é um similar à base de tiratricol que possui todas as informações sobre efeitos colaterais e cuidados em sua bula. A empresa Aché Laboratórios Farmacêuticos também informou, através de uma nota oficial que ? todos seus medicamentos são eficazes, seguros e detêm o devido respaldo técnico-científico que atende, não só às rigorosas exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Ministério da Saúde, bem como dos mais conceituados órgãos internacionais de saúde.?Na nota oficial, o laboratório afirma que o princípio ativo do produto Triac, foi devidamente aprovado pela Anvisa e que serve de base para a fabricação de outros produtos similares existentes no mercado. A Aché também destaca, através de sua Assessoria de Imprensa, que a comercialização do Triac ?está atrelada à obrigatoriedade de prescrição médica? e que a sua bula traz informações completas sobre suas reações adversas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.