Anvisa abre processo contra Souza Cruz

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou nesta quarta-feira que abriu processo administrativo contra a fabricante de cigarros Souza Cruz por sua campanha publicitária que atribui ao cigarro propriedades calmantes e estimulantes. Com o processo, a Anvisa quer obrigar a Souza Cruz a suspender a campanha, na qual os cartazes expostos nos pontos de venda dizem: "Relaxe em excesso, fume com moderação" e "Divirta-se em excesso, fume com moderação". A empresa pode ser multada em até R$ 100 mil."Os cartazes são uma ameaça à saúde publica", afirma o gerente da equipe de produtos derivados de tabaco da Anvisa, Moyses Diskin. Ele diz também que os anúncios podem "induzir as pessoas ao consumo de cigarro". Induzir outros ao fumo é proibido por lei. A Anvisa também considera que a Souza Cruz praticou propaganda enganosa. A agência considera enganosa a parte do anúncio que sugere fumar com moderação, já que fumar menos não impediria os danos à saúde provocados pelo consumo do tabaco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.