Antonio Ermírio elogia Lula, critica o MST e fala sobre FHC

O presidente do Conselho de Administração do Grupo Votorantim, Antonio Ermírio de Moraes, disse estar agradavelmente surpreso com o desempenho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas que o mesmo não ocorre com alguns membros do segundo e terceiro escalões de seu governo, dando a entender que se referia a integrantes da área social, como o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto. Ouvido no programa Show Business, da Rede TV, o empresário repetiu as críticas feitas ao MST, em recente entrevista que concedeu ao jornal O Estado de S. Paulo. Reiterou, neste sentido, a apreciação que fizera de que o PT está colhendo o que plantou em relação ao Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra. "No momento em que eles (o MST) criaram a sua própria Constituição e começaram a fazer todas as aberrações possíveis e imagináveis, a ordem democrática está em perigo. Então, isso eu não aceito. Todo mundo tem o direito de lutar por um quinhão de terra, mas tem que ser de acordo com a lei."Reformas e capital estrangeiroAntonio Ermírio classificou de "fundamental" a reforma da Previdência, acrescentando que jamais esperara do presidente Lula um empenho tão decidido para a sua aprovação. Em seguida, elogiou o comportamento da equipe econômica, embora ressaltasse que os juros precisam cair para que o País volte a crescer para gerar novos empregos. "No momento, a classe privilegiada ainda continua sendo a dos banqueiros", disse. E esclareceu ser favorável à entrada de capitais estrangeiros no Brasil. Para ele, China e Brasil são hoje as duas grandes atrações para os investidores diretos. "É importante que esse pessoal venha para cá", afirmou. Explicou que, nos anos 50, o grupo a que preside foi muito assediado por empresas estrangeiras, que fizeram de tudo para sufocá-lo. Mas que, hoje, as coisas são diferentes.A ameaça dos radicaisO presidente do Grupo Votorantim considera que uma das ameaças ao governo Lula vem dos radicais de seu partido, mas não quis nomear quem seriam eles ("todo mundo sabe"), e tampouco dizer que deveriam ser punidos pela direção do PT.Governo FHCAntonio Ermírio tem uma opinião favorável sobre os oitos anos do governo Fernando Henrique Cardoso, acrescentando que um de seus grandes feitos foi a reconquista da estabilidade econômica. E fez uma revelação, que ouviu do próprio ex-presidente: ele se arrepende amargamente de ter dito que era fácil governar o Brasil. "O presidente Fernando Henrique Cardoso é um homem de muita linha; sempre foi um cavalheiro. Talvez tenha faltado um pouco (seu empenho em) fazer as reformas. Mas, na verdade dos fatos, quem se opunha às reformas do Fernando Henrique Cardoso? Era o PT, e agora eles estão cantando de galo. Mas foram eles que não deixaram fazer as reformas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.