Antônio Ermírio diz que prefere Tasso a Serra

O presidente do Grupo Votorantim, Antônio Ermírio de Moraes, disse nesta quinta-feira que irá apoiar o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), na eleição para o governo paulista.Já em relação à disputa entre os dois principais candidatos do PSDB ao Palácio do Planalto, o governador do Ceará, Tasso Jereissati, e o ministro José Serra (Saúde), o empresário pareceu mais inclinado a votar no tucano cearense."O Serra é competente, mas precisa ter mais flexibilidade para andar no meio do povo, ele perde um pouco a paciência", afirmou, depois de ter uma audiência com Alckmin para apresentar a nova diretoria do Grupo Votorantim."O Tasso é o contrário, é mais sossegado, do tipo nordestino, tem mais calma, não tem pressa e isso é importante em campanha". Ele observou que é preciso "ter paciência" para andar no meio do povo e relembrou que já viveu essa experiência em 1986, quando disputou o governo paulista.Com base na sua breve experiência na política, Ermírio deu outro puxão de orelha no ministro da Saúde. "Isso também é para o Serra: quando se vai para um comício marcado às 9 horas é preciso chegar um quarto antes das nove", disse, referindo-se aos atrasos do ministro durante a campanha à Prefeitura paulistana em 1996. "Não dá para marcar às 9 e chegar às 10h30, porque aí o povo xinga".O empresário disse que irá na segunda-feira assistir à palestra que Tasso fará em São Paulo. O evento está sendo organizado pela família do governador Mário Covas que, antes da sua morte em março, defendeu o nome do governador cearense como candidato do PSDB à sucessão do presidente Fernando Henrique.Ermírio de Moraes disse ter recebido nesta quinta-feira à tarde um telefonema do filho do governador, Mário Covas Neto, o Zuzinha, mas, como estava se dirigindo para a audiência com Alckmin, não puderam conversar. "Vou com prazer, a gente sempre acaba aprendendo alguma coisa", disse.Ermírio de Moraes não saiu do Palácio dos Bandeirantes sem um convite para a palestra, que lhe foi entregue pelo secretário particular do governador. O presidente do Grupo Votorantim revelou ter conversado com Alckmin sobre política."Disse para ele que estou esperando ele se candidatar, porque certamente será reeleito", afirmou, mas sem detalhes sobre qual foi a reação de Alckmin, que teima em fazer segredo em torno de sua provável candidatura.Para o presidente do Grupo Votorantim, um candidato deve ter duas qualidades: ser honesto e competente. "O partido é o que menos importa". Ele avaliou o governo Alckmin como ótimo. "É um trabalhador, não é demagogo e é sério", disse. "Estou disposto a dar o meu apoio a ele, de coração".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.