André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

'Antes tarde do que nunca', diz Tasso sobre saída de Imbassahy

Segundo senador, decisão consolida a saída do PSDB da base do governo; tucano critica Meirelles e afirma que acha difícil que sigla feche questão sobre Previdência

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2017 | 17h58

BRASÍLIA - O senador Tasso Jereissati (CE) disse nessa sexta-feira, 8, que a saída do tucano Antônio Imbassahy (BA) do governo foi uma “decisão tardia”. “Já estava em tempo. Demorou demais. Ele tomou uma decisão tardia, mas antes tarde que nunca”

Segundo Tasso, a decisão consolida a saída do PSDB da base do governo Michel Temer. “Amanhã não somos mais da base do governo. O governador Geraldo Alckmin vai anunciar isso. Somos à favor de apoiar as reformas, independente de cargos ou verbas”, afirmou.

+++ Eleição da juventude do PSDB é suspensa devido a impasse entre adversários

O senador cearense almoçou nessa sexta-feira no Senado com Alckmin, que chegou pela manhã em Brasília. Os dois conversaram sobre a convenção deste sábado e afinaram a composição da próxima executiva tucana. Tasso deve assumir o comando do Instituto Teotônio Vilela, braço teórico do PSDB.

LEIA A CARTA DE DEMISSÃO DE IMBASSAHY

Questionado sobre a posição da legenda sobre a reforma da Previdência, Tasso afirmou que acha difícil o PSDB fechar questão na bancada e criticou o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

+++ Convenção do PSDB custou R$ 1,5 milhão aos cofres públicos

“Vejo o ministro da Fazenda clamando pelo PSDB para que apoie as reformas, mas o seu próprio, que tem 40 deputados, não tem 10 que apoie a reforma da Previdência. Isso é vergonhoso.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.