Antes de assumir da Casa Civil, Mercadante discute pauta legislativa

O ainda ministro da Educação se reuniu com o líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT) e discutiu projetos que tramitam no Congresso

Daiene Cardoso , O Estado de S. Paulo

28 de janeiro de 2014 | 19h59

Brasília - Mesmo antes de tomar posse como novo ministro-chefe da Casa Civil, o atual ministro da Educação Aloizio Mercadante já faz articulação política pelo Palácio do Planalto. Em nota publicada em seu site, o líder do PT na Câmara dos Deputados, José Guimarães (CE), informa que conversou nesta terça-feira, 28, com o sucessor de Gleisi Hoffmann em São Paulo sobre a pauta do Congresso Nacional no retorno do recesso parlamentar, na próxima semana.

"Mercadante já atua na articulação da base aliada para garantir a aprovação dos projetos prioritários para o Executivo", diz o texto publicado no site petista. Na Câmara, cinco projetos trancam a pauta, entre eles o Marco Civil da Internet. Outra proposta de interesse do governo é a Medida Provisória (MP) 627, que altera a legislação relativa ao Imposto sobre a Renda das Pessoas Jurídicas (IRPJ), à Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) e à Contribuição para o PIS/Pasep e à Cofins.

O líder petista disse que a conversa sobre os assuntos legislativos foi superficial e o ministro quis saber apenas o que estava em pauta no Parlamento. "Não foi nada extraordinário", desconversou Guimarães.

Com o retorno da presidente Dilma Rousseff nesta quarta (29) após viagens internacionais, Mercadante deve ser oficialmente anunciado como substituto de Gleisi, que deixa a Esplanada dos Ministérios para disputar o governo do Paraná. Além de Mercadante, Dilma deve anunciar Arthur Chioro como novo ministro da Saúde, no lugar de Alexandre Padilha, provável candidato do PT ao governo paulista. A posse dos ministros deve ocorrer na próxima segunda-feira (3) e, no mesmo dia à tarde, Mercadante deve levar a mensagem presidencial na sessão de abertura do ano legislativo no Congresso.

Como adiantou o Broadcast Político, a ida de Mercadante para o comando da Casa Civil deve esvaziar, ainda mais, as funções da ministra Ideli Salvatti como articuladora política do Executivo. Ideli tem passado ao largo das discussões da reforma ministerial e da montagem das alianças regionais, das quais Mercadante é presença constante. Além disso, Ideli pode deixar o governo para disputar uma vaga no Senado ou na Câmara dos Deputados nas eleições de outubro.

Colaborou Tânia Monteiro

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.