ANS vai apurar denúncia de omissão de socorro a secretário de Recursos Humanos

Duvanier Paiva Ferreira morreu vítima de problemas cardíacos nessa quinta e dois hospitais teriam recusado atendimento por falta de cheque para caução; Dilma pediu 'providências'

Andréa Jubé Vianna, da Agência Estado

20 de janeiro de 2012 | 12h47

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff pediu ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, "providências exemplares" na apuração de suposta omissão de socorro por parte de dois hospitais do Distrito Federal no atendimento ao secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Paiva Ferreira, que morreu após sofrer um enfarte, nessa quinta-feira,19.

Segundo a assessoria de imprensa do Planalto, a informação de que poderia ter ocorrido negligência médica no atendimento a Duvanier chegou a Dilma na noite dessa quinta, após a divulgação de uma nota de pesar pela Presidência da República. O ministro, por sua vez, acionou a Agência Nacional de Saúde (ANS), que é a gestora dos planos de saúde, para que as providências sejam tomadas.

O jornal Correio Braziliense revelou nesta sexta-feira, 20, que Duvanier foi levado aos hospitais Santa Lúcia e Santa Luzia - instituições particulares de referência na Capital Federal – que supostamente teriam negado atendimento, porque o servidor não tinha cheque para deixar como caução. O secretário era conveniado ao Geap – plano de saúde que atende os servidores públicos federais - que não seria recebido pelos dois hospitais.

Segundo o Correio Braziliense, quando chegou a um terceiro hospital, o quadro estava avançado e os médicos não conseguiram reanimá-lo. Na nota de pesar divulgada na noite dessa quinta, Dilma lembrou que Duvanier assumiu o cargo no Ministério do Planejamento em 2007 e foi convidado a permanecer no posto em seu governo. "Sua inteligência, dedicação e capacidade de trabalho farão muita falta à nossa administração", disse a presidente no comunicado.

Tudo o que sabemos sobre:
secretáriomorteomissão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.