Anistia elogia Brasil por decisão favorável a índios

A entidade de direitos humanosAnistia Internacional elogiou na quarta-feira o governobrasileiro por transformar em reserva indígena uma áreareivindicada pela empresa Aracruz Celulose . O ministro da Justiça, Tarso Genro, anunciou na terça-feiraque uma área de 11 mil hectares (equivalente a cerca de 15 milcampos de futebol) no Espírito Santo será acrescentada a umareserva já existente. "Anos de incerteza sobre o status dessas terras deixaram astribos tupiniquim e guarani vulneráveis à violência e àintimidação", disse a Anistia, acrescentando que a Aracruzhavia plantado eucalipto em áreas ocupadas tradicionalmentepelos índios. Em janeiro de 2006, 13 índios ficaram feridos numa enormeoperação policial para retirar os indígenas da terra disputada. A Anistia disse esperar que a decisão sirva de precedentepara casos similares ainda não resolvidos, especialmente noMato Grosso do Sul, onde segundo a ONG muitas tribos sofrem coma violência e a pobreza por causa de disputas fundiárias. A assessoria de imprensa da Aracruz disse que a empresaestá avaliando possíveis recursos judiciais contra a decisão dogoverno. Uma assessora disse que a medida foi "uma surpresa",já que a Aracruz vinha negociando uma solução com a Funai. (Por Andrei Khalip)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.