Aníbal diz que propostas de reformas são ?tímidas? e ?inócuas?

O presidente nacional do PSDB, José Aníbal, disse que já há uma decisão do partido de apresentar emendas às propostas de reformas da previdência e do sistema tributário. Aníbal explicou que a predisposição dos tucanos é a de cooperar pelas reformas que o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tentou implantar e não conseguiu, exatamente pelo forte oposicionismo do PT. Aníbal destacou, entretanto, que o partido não aceitará que a reforma tributária tenha como conseqüência o aumento da carga de impostos. Em reuniões com economistas e especialistas em previdência, os tucanos avaliaram como "tímida" a proposta para o sistema tributário e "inócua" em alguns pontos a da previdência. Ele aponta como inócuo ou neutro o dispositivo que prevê isenção de contribuição para os servidores inativos que ganhem menos de R$ 1.058,00. Para Aníbal, com esse dispositivo a previdência, mesmo arrecadando de quem ganha mais a uma alíquota de 11%, poderá até mesmo perder receita. "O viés dessas reformas hoje é fiscal, não somente uma questão de justiça", disse o dirigente.DissidentesOs casos dos deputados Osmânio Pereira (PSDB-MG) e Salvador Zimbaldi (PSDB-SP) foram considerados "atípicos" por Aníbal. Os dois se anteciparam às decisões do partido e anunciaram o apoio às reformas da previdência e tributária propostas pelo governo. O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse que esses dois deputados agiram assim porque participaram diretamente da indicação de um diretor para Furnas. Segundo outras fontes tucanas, o responsável pela cooptação dos dois parlamentares seria o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, que em troca de cargos no segundo escalão procura obter a lealdade de parlamentares da oposição. "Se foi isso mesmo, não posso afirmar nada. Se tivesse acontecido no tempo em que o PT era oposição, eles chamariam esse tipo de operação de ?compra de votos??, ironizou Aníbal. Além de garantir que não há preocupação com a formação de dissidências políticas ou ideológicas no PSDB, o presidente do partido lembra que os tucanos estão também recebendo adesões, como foram os casos dos deputados Júlio Redecker (RS) e Gonzaga Motta (CE).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.