Aneel joga culpa na ONS e CNPE pela crise energética

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), José Mário Abdo, rebateu hoje as críticas de que a agência é responsável pela crise de energia, principalmente pelo modelo de regulação adotado. "É uma visão de oportunismo querer colocar na Aneel responsabilidades que não lhe são imputáveis", disse. Segundo ele, a Aneel tem o papel de órgão regulador e não de operador do sistema, ou elaborador de políticas de energia. Essas atribuições, lembrou Abdo, são do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). "A Aneel não tem papel de governo. Os papéis do governo não nos competem", afirmou.Segundo ele, a agência não vai permitir que as críticas repercutam ou venham prejudicar a mudança na estrutura do modelo energético, que vem sendo comandada pela Aneel, desde a sua criação há três anos. "A Aneel assume a sua responsabilidade mas não admite a transferência de outras responsabilidades, que não sejam de sua competência".O diretor da Aneel ressaltou também que não foi a agência que propôs a multa para os consumidores que consumissem energia acima da cota que seria estabelecida pelo governo. "É muita maldade. É uma responsabilização indevida e nós não aceitamos. Não é competência da Aneel decidir ou coordenar sobre essa proposta", afirmou Abdo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.